Startup: como montar uma apresentação para investidor?

Startup – Como montar uma apresentação para conseguir um investidor?

Eu já fracassei diversas vezes com investidores. Ouvi inúmeros nãos, muitos mesmo, mais de 100 provavelmente. Com muito suor e luta consegui junto com nossa equipe a convencer 4 investidores a subirem no nosso barco junto conosco na Fabapp, dona do produto Fábrica de Aplicativos. Temos um acordo assinado, para quem sabe termos o quinto tomador de risco e novamente estamos trabalhando para trazer mais uma rodada pra casa!

Isso mesmo, tomador de risco. Ao investir numa empresa o investidor vai assumir o risco de investir o dinheiro na sua ideia, no seu negócio e perder todo o capital investido. Isso principalmente quando falamos de startups.

Neste post quero apresentar uma estrutura simples, mas poderosa, de como fazer uma apresentação para investidores. Deixarei a apresentação disponível em power point para quem quiser utiliza-la. Também está a transmissão que fizemos ao vivo para que você possa nos assistir e entender com mais profundidade os conceitos que apresentamos aqui.

Além da apresentação, ao final do post você também poderá ver o vídeo sobre o tema e baixar dois arquivos. O primeiro, é um modelo e estrutura de apresentação, um esqueleto para você se basear na hora de fazer o seu investor pitch. O segundo são 25 perguntas que você deve responder e que servirão de base para você montar o seu plano de negócios ou sintetizar a sua startup num documento escrito e compartilhar com possíveis investidores.

Tá, o que é uma startup? O que é ser um empreendedor?

Eu sou particularmente fã do Rick Chester. Você sabe quem é ele ou já ouviu falar de sua história? O Rick é um homem que ganha ou ganhava a vida vendendo água na praia de Copacabana. Com sua força e luta hoje é patrocinado por um dos dez maiores bancos do hemisfério sul e ainda dá palestras em universidades, como Harvard e também em escolas nas periferias.

Algo que ouvi numa de suas palestras a qual me identifiquei muito foi: “Não sou empreendedor, eu trabalho por conta. Esse nome nem existia e muita gente nem sabe o que é.” E explico o porquê.

rick-chester-homem-da-agua-empreendedor-startup

Se você está atrás do investidor, tire essa ideia de empreendedorismo da cabeça. Essa coisa de querer aparecer no palco, de ter sucesso e dinheiro. Você tem que ser “Por conta”. Porque na hora que apertar, sabe quem vai te acudir? Você mesmo.

Sendo direto e reto, você é o negócio. Se você não se mostrar capaz de implementar as transformações e mudanças que estão na sua apresentação, o investidor sente o cheiro disso, ele sabe quem está falando a verdade e quem está de papo. Se alguém não faz, quem vai ter que fazer é você e se você não faz, ninguém faz também.

Aí vem gente falando: “Você é uma startup? O que é uma startup?” Não é pelo tamanho, idade, nem nada disso. A melhor definição que eu já vi é:

 

“Uma startup é uma instituição humana projetada para criar novos produtos e serviços sob condições de extrema incerteza” Eric Ries, Startup Enxuta


Novos serviços e incerteza. Se você está fazendo algo novo e que é extremamente arriscado, ou seja, você tem mais um milhão de vezes mais chance de sair perdendo do que ganhando, é isso, você tem uma startup.

O percurso do empreendedor

Startup, Investimento anjo investimento semente eGráfico de evolução de rodadas de investimento

Na imagem acima estão os estágios que seriam considerados “normais”. Claro, não é uma regra, é o que foi observado ao longo do tempo e a sua empresa, ideia e startup não precisa se encaixar perfeitamente e nem de longe nessa história. Aqui talvez seja mais para você entender que:

1. Você vai ser diluído quando entrarem investidores na sua empresa

2. Que as primeiras pessoas a investirem na sua ideia são familiares e amigos

3. Você conseguir investidor está longe de ser igual a ganhei dinheiro

E para explicar as siglas e o que está no gráfico:

Cada barra vinho é uma “Rodada de investimentos”, sendo que em cada uma você terá que abrir mão de uma parte da empresa, ou seja, vai perder participação.

Na parte de cima de cada barra, o montante que o investidor vai investir de capital na sua empresa. Na parte de baixo está o quanto você vai ter por participação, assim fica mais fácil entender o caminho.

Ideia – você tem a ideia, 100% do negócio é seu e o dinheiro também. CO-f – vem de co-founder, do primeiro sócio / acionista. Ele vai vir para cobrir onde está a sua maior falha e dividir as angústias de trabalhar “por conta” AFT – Amigos, Familiares e Tolos. Isso mesmo, tolos, já que não mensuram corretamente que o risco de perder todo o dinheiro é enorme. Semente seria o primeiro investidor “profissional” acompanhado de séria A,B,C,D,E e etc.

Após ter muito sucesso, mas sem entrar muito no mérito, após as rodadas de investimento a penúltima seria Private Equity e depois IPO. Deixamos para outro momento esses dois.

A apresentação ou as apresentações

Eu quis deixar dois modelos e vai ficar bem mais fácil se você assistir ao vídeo, mas basicamente a primeira é a versão que foi proposta para a Fabapp.com pelo investidor e a segunda proposta por ninguém menos que Guy Kawasaki, responsável pelo marketing da Apple e hoje investidor de startups.

Modelo proposto pelo último investidor da Fabapp.com

Às vezes você está todo animado, já tem a sua apresentação, os dados e etc, mas a vida não é fácil e você sabe disso. Na grande maioria das vezes é o investidor que vai definir o que ele quer saber. Abaixo a estrutura da apresentação que foi exigida.

1. Equipe

Sobre a equipe, o ideal é ressaltar quem são os principais elementos do time e o que cada um faz, seu papel, competências e também conquistas. O investidor precisa ter clareza de que a equipe conseguirá colocar em prática o que está falando e apresentando. É o Slide mais importante!

2. Problema, solução e modelo de negócios

Todo empreendimento, startup e negócio é feito para solucionar um problema. Nesta parte você deve descrever qual é o problema que você quer resolver ou resolve, e também o tamanho do problema. Por exemplo, o App Querida Ansiedade. O problema que quer resolver é “pessoas tem crises de ansiedade e não tem como tratar esta crise rapidamente”. Quantas pessoas sofrem de ansiedade no Brasil? E no Mundo? Este é o tamanho do mercado potencial do app. E a solução é um app, simples e eficiente, com exercícios e uma jornada para cuidar deste problema.

Existem diversas maneiras de você monetizar seu negócio e várias formas de gerar receita. Nós falamos melhor sobre este assunto no artigo de como você pode monetizar sua ideia com a Fábrica de Aplicativos.

3. Conquistas

Seu app já está no ar? Já tem downloads? Você já ganhou algum prêmio por conta a sua ideia ou startup? Este momento é quando você mostra o quão bom você é e que além disso você já foi reconhecido!

4. Visão de futuro e propósito

Sabia que a visão do Ford ao criar a sua empresa era que qualquer pessoa teria um carro? É isso, a Ford foi construída sobre esta visão. A Microsoft sob a visão de que todo mundo possuiria um computador pessoal. Assim, você deve mostrar o futuro ideal e como a sua empresa alavancará este sonho.

5. Tecnologia e inovação

Qual é a tecnologia que você está utilizando? Aqui você vai mostrar onde está a sua inovação! Fale das funcionalidades e dos benefícios que os seus clientes vão ter ao utilizar a sua tecnologia!

6. Mercado: crescimento do mercado

Quanto cresce o seu mercado? Ele está caindo? Subindo? Se está crescendo, quanto por cento ao ano ele cresce? O investidor quer saber se é um mercado que vai ter oportunidades ou se é um que vai precisar queimar o caixa da empresa por conta da rivalidade atroz da competição!

7. Análise competitiva

Sobre a competição, só vou falar uma coisa: Mais informações é melhor do que menos. O investidor quer saber se você vive dentro de uma caixa ou se está atento às mudanças do mercado e como você reage aos competidores. Tem que saber tudo sobre eles, só assim você poderá traçar uma estratégia vencedora.

8. Riscos e mitigantes

Quais são os maiores riscos do seu negócio? Já ouviu falar da análise SWOT? Apresente quais são seus maiores medos e não só isso, apresente as soluções e o que você está fazendo na prática para minimizar estes riscos!

9. Planos de expansão

Mostre como você vai crescer. Qual vai ser a tática e estratégia que você vai utilizar para expandir o seu negócio? Caso seja um app, você vai detonar mostrando que você sabe a maneira mais econômica de conseguir downloads para seu app! ASO! ASO! ASO! A otimização do seu app nas lojas do Google e Apple!

10. Uso de recursos e contratações chave

Ok, o investidor vai colocar 500 mil reais na sua startup. Como você vai usar o dinheiro? Contratação de talentos? Novo escritório? Uma dica aqui é: nunca falar que o dinheiro vai servir para capital de giro. O investidor quer que o dinheiro dele seja usado para inovação, marketing e etc.

11. Projeções

Aqui você precisa montar um DRE (demonstrativo de resultado). É através das projeções financeiras e quais hipóteses você formulou para desenha-la que vão mostrar que você não vai torrar o dinheiro do investidor sem gerar valor para a empresa. Como você vai vender, na verdade, tem que vender o sonho. Mas custos e despesas não tem muito segredo. Se tiver dúvidas sobre quanto custará o seu aplicativo, já sabe né? Leia nosso post sobre como calcular o custo do app!

12. Cap table

Cap Table é a “Mesa de Capital”. É uma tabela simples com os acionistas da empresa e suas respectivas participações.

13.O que a Empresa espera do investidor

Não é só pelo dinheiro. O investidor correto é aquele que além do capital financeiro oferecerá também capital humano e intelectual onde está a maio lacuna do seu negócio. Na maioria das startups é na gestão financeira, mas pode ser me marketing, em vendas e até mesmo no desenvolvimento do produto.

Baixe o modelo proposto pelo Guy Kawasaki

Baixe as perguntas para serem respondidas

Veja o vídeo que fizemos com o tema deste post!

Conclusão

Captar dinheiro com investidores não é fácil. Muito pelo contrário. No Brasil o custo de capital é muito alto, o que exige um retorno muito maior das startups para que o investidor aposte na ideia ao invés de investir em títulos de renda fixa e sem risco, o que não acontece no Vale do Silício, por exemplo.

Aqui trouxemos o básico do básico para que você possa estruturar a sua ideia olhando sobre a ótica e colocando o sapato do investidor. Baixe o arquivo das perguntas e as responda, depois sintetize as informações no modelo de apresentação que também pode ser baixado.

Espero novamente estar criando valor para você. Que a força esteja com todos!

Até breve!

Hugo Yang